Insuficiência Renal Crónica Felina – IRC

Os gatos estão a viver cada vez mais tempo, não sendo hoje em dia incomum ver gatos com 16, 18 anos. Talvez seja por estarmos a viver cada vez mais em apartamentos e a escolher o gato para companhia. Mas porque vivem mais? Porque ao viver em apartamentos ficam menos sujeitos a atropelamentos, brigas com outros gatos (e contaminarem-se com viroses fatais como o FIV e o Felv), brigas com cães, de maus- tratos (sim, infelizmente uma realidade preocupante em Portugal. Não é raro ver gatos com chumbos pelo corpo, ou envenenados). Só existe uma coisa que me assusta em apartamentos, a altura e algumas varandas abertas, pois os gatos adoram pular e explorar.

Mas o que isso tem a ver com o tema do post? Bem, tem tudo a ver. Na verdade um dos fatores que mais predispõe a insuficiência renal crónica felina é a idade! Normalmente por volta dos 10 anos existe um aumento do número de animais afetados. Fêmea ou macho, não importa. No caso de certas raças, como o Persa ou Abissínio, além do fator idade, existe o fator genético, predispondo esses animais a nascerem com rins poliquísticos.

Como o próprio nome diz, a IRC é a perda gradual de função dos rins, sendo que os mesmos são considerados “insuficientes” quando perdem 75% da sua capacidade funcional. Normalmente é uma doença silenciosa, progressiva e irreversível.

Existem alguns sinais de alerta, como perda de peso, diminuição do apetite, apatia, mal hálito, úlceras nas gengivas e na língua, vómitos, maior volume de urina na caixa de areia. Mas existe dois sinais muito característicos e importantes: o gato bebe (polidipsia) constantemente água e urina (poliúria) muitas vezes. Basicamente é uma tentativa do organismo em livrar-se dos resíduos não filtrados pelos rins e que continuam na circulação sanguínea, como a uréia.

Mas apesar de ser uma consequência natural da idade, existem tratamentos que visam melhorar a qualidade de vida dos nossos amigos e evitar uma progressão rápida da doença. O veterinário irá realizar alguns exames essenciais e determinar o tratamento. Por isso, o check-up frequente após os 10 anos é essencial pois vamos tratar as doenças numa fase precoce.
 
 

A visão da Medicina Tradicional Chinesa

A Medicina Tradicional Chinesa é um ótimo tratamento, podendo ser integrada com o tratamento convencional ocidental. Para a MTC existem vários fatores causadores de IRC, e assim sendo, existem várias formas de tratamento.

Através de uma primeira abordagem, observamos o gato, seu comportamento; suas preferências ambientais (se gosta de ficar no escuro, no sol, etc); sua língua (se está pálida, húmida, seca, vermelha); seu pelo (seco, oleoso); seu pulso (rápido, fraco, lento, profundo). Normalmente os padrões mais comuns são: Deficiência do Qi do Rim, Deficiência do Yang do Rim, Deficiência do Yin do Rim, Deficiência do Jing do Rim. Outros órgãos também podem estar afetados, como o Baço, causando retenção de humidade, bloqueando o fluxo de energia, ou Qi.

Existem muitas formas de tratamento dentro da MTC, com acupuntura, a moxabustão, a fitoterapia chinesa e a dieta chinesa. O tratamento visa reestabelecer o equilíbrio energético e assim melhorar a qualidade de vida, devido ao controlo da diurese, da náusea, da anemia, do apetite.

E eles merecem qualidade de vida, certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.