Alteração Comportamental no gato e a MTC (Parte I)

Kimi – a gatinha assustada
“O Coração é o sítio da Mente…” – Nei Jing
 
Os distúrbios emocionais nos gatos são muito comuns, mas estes conseguem “esconder” essa condição. Os cães demonstram mais a ansiedade, começando a ladrar muito, a arranhar portas e móveis (deixando marcas), começam a lamber-se muito, arrancar pelos, ficam apáticos, etc. Mas os gatos são mais subtis na demonstração dos seus sentimentos. Muitos proprietários só se apercebem que algo não está bem quando repentinamente os gatos urinam fora da caixa de areia, vocalizam ao urinar e/ou não conseguem urinar, ou seja, um quadro clássico de cistite idiopática, que normalmente torna-se numa condição crónica, onde o gato poderá desenvolver várias crises ao longo da vida. O termo “idiopático” significa que não se sabe a causa da doença (pode ser do estresse, da alimentação, etc). Outros gatos começam a lamber-se muito, ficando com pelos rarefeitos, e na consulta não são observados parasitas externos (pulgas, piolhos, ácaros) ou doenças causadas por fungos, alergias, etc. Normalmente após vários exames chegamos a conclusão: problema emocional. Esses são só alguns exemplos, existem muitos mais sinais de distúrbios comportamentais (esconder sempre que uma visita aparece em casa e agressividade são outros exemplos).
 
Para a Medicina Tradicional Chinesa, estamos perante ao “Distúrbio de Shen”. Mas o que é o Shen?
 
O Shen, pode ser descrito como o “espírito” ou Qi espiritual. Pode parecer complicado, mas para a medicina chinesa não existe diferença entre “corpo, mente e espírito”. O Shen reside no Coração, e este regula a consciência e a percepção do animal, equilibrando sua paz mental e sua alegria. Mas não é só o Coração o afetado. Como existe uma ligação entre órgãos na medicina chinesa, o Baço, o Pulmão, o Fígado e o Rim ficam em desequilíbrio. Outro fator comum em muitos animais com problemas emocionais é a relação com o tutor, normalmente são muito apegados, dependentes e às vezes os problemas emocionais dos tutores ou sua ausência, afetam emocionalmente os seus animais.
O diagnóstico é realizado através da observação do animal, do seu pulso, da sua língua. É uma tarefa algo demorada, pois através dessa primeira abordagem poderemos verificar quais órgãos estão em desequilíbrio e quais os padrões a tratar. O tratamento de um animal triste e apático é diferente de um animal medroso, que é diferente de um animal ansioso e estressado. Sim, apesar de ser “distúrbio de Shen” temos que ir na causa do problema.
 
O tratamento baseado na MTC deve atuar nos órgãos de apoio do sistema do Coração que estão desequilibrados. Em cada sessão poderemos acrescentar mãos pontos a tratar. O gato não é tão fácil de se manipular como o cão, mas normalmente estes deixam que coloquemos as agulhas na sua região dorsal. Além da acupuntura, a fitoterapia chinesa é muito importante, pois muitas fórmulas “acalmam a mente”, “nutrem o Coração”, “nutrem o Rim” e aí por diante.
 
Kimi – a gata assustada
A Kimi é uma super meiga, raça europeu comum, mais ou menos 2 anos. Ninguém sabe a origem da Kimi, mas por ser tão meiga com o ser-humano, presume-se que foi abandonada. Ela tinha uma pata da frente com uma grave lesão e esta teve que ser amputada. Aliás, os seus novos “pais” não ficaram indiferentes por ver essa gatinha assim e foram logo ao veterinário para que esta fosse tratada em condições. Após a cirurgia a Kimi mudou de cidade (foi resgatada na cidade dos pais da proprietária) e na nova casa existia uma “irmã” mais velha, a gata Nori, que a acolheu muito bem!
 
Não se sabe ao certo quando é que a Kimi começou a urinar fora da caixa de areia. Não era frequente, mas de 15 em 15 dias lá estava mais uma manta do sofá com xixi! Um dos fatores que pressuponho que possa ter levado a esse comportamento foi a mudança de residência (dos novos proprietários, alguns meses depois da Kimi ter chegado em Lisboa). Na nova casa existe um terraço onde outros gatos conseguem entrar. Talvez a presença de “estranhos” numa casa nova fosse a gota d´água emocional para essa gatinha. Antes ela tolerava a presença de visitas, mas agora esconde-se mal toca a campainha.
 
Essa ansiedade e medo mostram que existe um desequilíbrio Coração-Baço-Rim. A sua língua tem a ponta bastante vermelha, mas é pálida, o que indica Deficiência de Yin do Coração. O seu pulso é rápido e fino. Um dos sinais que o Baço está afetado é sua condição corporal, em 1 ano seu peso aumentou consideravelmente, além da língua pálida. O sinal mais evidente que o Rim está afetado é o Medo. Além desses órgãos, no caso da Kimi vamos nutrir o Xue, ou o sangue.
 
A Kimi portou-se muito bem durante sua primeira sessão. Basicamente foram utilizados pontos para tonificar o Coração, Pericárdio, Rim e Baço. Um dos pontos essenciais foi a utilização do ponto VG-20 ou Bai hui, para promover seu relaxamento e deixar que as outras agulhas fossem colocadas.
 
Vamos torcer pela Kimi?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.