Alimentos Tóxicos para Cães e Gatos (parte II)

Estamos a caminhar para a Páscoa, e claro, é comum a oferta de chocolate, como ovos ou as deliciosas amêndoas cobertas pelo mesmo. Quando existe numa casa, crianças e animais, então o perigo é real.

Lembro-me de alguns casos de intoxicações por chocolate, mas houve um que me marcou muito e realmente pude “ver com os meus próprios olhos” o quão pode ser perigoso a sua oferta. Bem, nesse caso nem foi a oferta, a cadelinha “roubou” uma tablete de chocolate 70%. Os tutores não sabiam o que estava a acontecer, levaram-na logo para a clínica após crises convulsivas sucessivas, tremores e taquicardia. Quando a vi, veio a primeira pergunta: “comeu chocolate?”, sendo a resposta negativa. Mas lá fui insistindo e ligaram para casa. Durante uma busca por “provas”, lá apareceu o papel e a folha de alumínio no quintal. A história terminou bem, apesar do enorme susto e de alguns dias de internamento. Porque perguntei se poderia ser chocolate? Bem, estávamos na época da Páscoa e os sinais clínicos apresentados (minha segunda pergunta foi se poderia ter ingerido algum tóxico ou medicamento, devido à semelhança dos sintomas).

Mas porque o chocolate é tão tóxico?
No cacau (Theobroma cacao) existem 2 substâncias potencialmente tóxicas para cães e gatos. A teobromina e a metil-xantina. Quanto maior a percentagem de cacau no chocolate (como no chocolate preto 70%), maior a toxicidade. A teobromina (Fig. 1) e a metil-xantina são fitoquímicos que possuem um efeito estimulante muito parecido ao da cafeína. Esses compostos também possuem alta lipossubilidade, ou seja, passam a barreira hematoencefálica (do sangue para o cérebro) e placentária (do sangue para os fetos). Sua absorção dá-se tanto no estômago quanto no intestino.
O metabolismo do cão em relação ao chocolate é diferente do humano. Os cães demoram mais a metabilizar o chocolate, demorando várias horas e até dias. Ao dar “um pouquinho hoje e amanhã e depois…” poderemos contribuir para um potencial quadro de intoxicação, pois o organismo vai “acumulando” esses compostos.

Molécula da Teobromina

Mas qual a quantidade que poderá causar uma intoxicação?
Bem, aqui quanto maior quantidade de cacau (quanto mais escuro) tiver o chocolate mais teobromina e metil-xantinas terá. Para se ter uma ideia, 20mg por cada quilo, já podem causar alguns sintomas ligeiros. Uma barra de chocolate ao leite (30% cacau mais ou menos)de 100g pode ter entre 155mg de teobromina e 100g de chocolate preto (70% de cacau) possui 530mg. A dose potencialmente fatal pode variar de 250 a 500mg por quilo. Ou seja, cães pequenos estão mais susceptíveis.

Os principais sinais e sintomas da intoxicação por chocolate são:
– Náuseas
– Vómitos
– Diarreia (com ou sem sangue)
– Dor abdominal
– Polidpsia (bebe muita água)
– Ataxia (Incoordenação dos movimentos do corpo)
– Taquicardia
– Taquipnéia (respira rápido)
– Hipertermia (febre)
– Mucosas pálidas ou cianose (mucosa “azulada”)
– Tremores
– Convulsões
– Coma
– Óbito

A ingestão de chocolate (nada de pânico ok?) numa dose alta deverá ser tratada como uma emergência médica. Ligue imediatamente para seu veterinário assistente. Não existe nenhum antídoto ou medicamento específico para o tratamento, mas sim, tratamento suporte. Este tratamento trata os sintomas e tenta proteger o trato gastro-intestinal. Os animais com sintomatologia grave devem ficar internados. Devido ao efeito lento e acumulativo no organismo, não espere muito pela procura de assitência veterinária.

Por isso já sabem, chocolate é PROIBIDO para nossos amigos. Fique sempre atento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.